DICIONÁRIO OFF ROAD 4X4

2WD - Two Wheel Drive: Significa que o veículo tem tração em apenas duas rodas. Esta configuração equipa a grande maioria dos veículos, quando o sistema de tração é instalado no eixo traseiro ou dianteiro.


4WD - Four Wheel Drive: Significa que o veículo tem tração nas quatro rodas. Esta configuração equipa todos os veículos 4x4, utilitários ou SUVs. Em alguns modelos se pode engatar a tração 4x4 a partir da roda-livre e alavanca, ou através de comando elétrico no painel. A maioria têm tração permanente na traseira e opcional na dianteira.


4x4 H: Engatar a Tração 4x4 H (High = Alta), significa acionar a tração nas quatro rodas para trânsito em alta velocidade. Com esta configuração é possível rodar em velocidades normais em estradas de terra e com baixo atrito. Veículos equipados com diferencial central podem trafegar com 4x4 H em qualquer tipo de terreno.


4x4 L: Engatar a Tração 4x4 L (Low = Baixa/Reduzida), significa acionar o sistema de redução da caixa de transferência para condução em baixas velocidades. Esta configuração é necessária para transpor a maioria dos obstáculos encontrados em situações off-road.


Altura Máxima: É a máxima altura do solo que o veículo possui. A medida pode ser feita a partir da parte mais baixa do veículo como o diferencial.


Ancoragem: técnica usada para criar um ponto de apoio para colocação de cabos de aço, cordas ou cintas, para dar suporte em operações de resgate. A ancoragem pode ser feita em árvores, rochas ou outros veículos.


Ângulo de Ataque: É o ângulo que determina a aptidão do veículo para abordar um degrau mais proeminente, sem bater componentes da suspensão ou pára-choque. Um bom veículo offroad tem ângulo de ataque de no mínimo 30 graus.


Ângulo de saída: É o ângulo que determina a aptidão do veículo para sair de um obstáculo sem que o chassi ou párachoque traseiro encoste no terreno. Um bom veículo off-road tem ângulo de saída de no mínimo 30 graus.
 

Caixa de Transferência: Situa-se ao lado da caixa de marchas e possibilita a transmissão de torque para o eixo
dianteiro e traseiro, além de proporcionar a redução das marchas.


Calço Hidráulico: Acontece quando o motor aspira água pela entrada de ar ou pelo escape. Na tentativa de comprimir a água nos cilindros, peças vitais como bielas, comando de válvula e até mesmo o bloco são danificadas.
 

Câmber: É o ângulo de inclinação da roda em relação a um plano vertical. Quando a roda está inclinada para dentro do veículo, tem-se o “câmber negativo”. Mas quando a roda está inclinada para fora o resultado é o “câmber positivo”. A cambagem em excesso desgasta o ombro do pneu. Com cambagem positiva o pneu se desgasta mais no ombro externo, e com a negativa o pneu terá desgaste no ombro interno.
 

Cáster: Conferido na suspensão dianteira é o ângulo de inclinação negativo - para trás, ou positivo - para frente, do pino mestre na parte superior com relação a um plano vertical. Esta regulagem é fundamental para a dirigibilidade, pois se o ângulo for muito grande, ou seja, muito inclinado, a resposta da direção será lenta. Por outro lado, com ângulo menor, ou seja, menor inclinação, mais veloz será a resposta da direção. Também é responsável pela estabilidade direcional do veículo, já que pouco cáster ou mesmo nenhum provoca o shimmy nas rodas. Cáster
desigual faz a roda puxar para o lado, com um desgaste irregular da banda de rodagem. E o cáster excessivo provocará o desgaste prematuro de toda a banda de rodagem.

 

Cinta: Normalmente de nylon, a cinta é um acessório útil em operações de ancoragem do veículo, pois permite a fixação do cabo de aço em uma árvore sem comprometer o tronco. A cinta também é muito útil para prender um cabo de aço em um veículo sem pontos de ancoragem.
Convergência: É a regulagem das rodas dianteiras, para que permaneçam mais fechadas na extremidade dianteira do que na traseira.

Diferencial: Componente mecânico presente em todos os veículos, fica instalado no eixo de tração e tem a função de
permitir a distribuição de torque diferente entre as rodas em uma curva. O Troller e os demais veículos 4x4 possuem dois diferenciais, um no eixo traseiro e outro no dianteiro.

 

Divergência: É a situação contrária à convergência. Agora, as rodas estão mais abertas na extremidade dianteira do que na traseira. Se o ajuste da convergência das rodas estiver errado, a banda de rodagem dos pneus apresentará um desgaste prematuro e irregular em formato de “serra”.
 

Divergência em Curvas: Ao fazer uma curva a roda interna precisa esterçar mais do que a externa, a fim de proporcionar divergência suficiente para a realização da curva com controle e segurança. Após a manobra a divergência deve cessar, para que as rodas girem paralelas entre si, novamente. Se a roda interna tiver o ângulo de giro desregulado, todos os outros pneus terão desgaste excessivo nas curvas.
 

Eixo Flutuante: Eixo que tem um sistema de rolamentos que sustenta o peso do veículo. Caso a ponta de eixo se quebre, a roda permanece no lugar, e é possível rodar com o veículo utilizando a tração dianteira.
 

Facão: Nome popular para erosão ou valeta mais profunda. O facão pode se formar por ação natural ou ser provocado pelo trânsito de veículos, que cavam inicialmente a canaleta com os pneus, deixando o local propício para formação de erosões pelo efeito da chuva. Os pneus agrícolas conhecidos como “frontiera” são os campeões desse tipo de agressão ao ambiente, e são conhecidos como anti-ecológicos pelos estragos que causam.
 

Força (F) - Unidade Newtons (N): É a multiplicação de massa (peso) por aceleração. No motor temos Força no pistão
devido a aceleração gerada na expansão da combustão da mistura ar + combustível.

 

Freio-motor: Recurso que usa o motor e marchas reduzidas para frear o deslocamento do veículo. É usado em descidas íngremes, nos deslocamentos por trilhas, no dia a dia nas rodovias e em descidas de serras. Você já leu em placas de trânsito: “Use freio-motor”?
 

Guincho: Equipamento fundamental para incursões radicais. As versões disponíveis no mercado são três: mecânico, hidráulico e elétrico. Este último é o mais popular, já que pode ser instalado na dianteira, traseira ou lateral de qualquer veículo, e depende da bateria para funcionar.
 

Hi-Lift: Macaco ideal para uso em trilhas. Pode levantar um veículo até 1,5 metros, facilitando operações de resgate e manutenção, além de poder ser usado como guincho. 

 

Inclinação Lateral: É a aptidão do veículo para abordar um trecho inclinado sem tombar.
 

Part-Time 4WD - Tração 4x4 Parcial: a caixa de câmbio não possui diferencial central, e para veículos com este sistema a tração 4x4 deve ser usada somente em situações off-road, evitando o asfalto e estradas de terra em boas condições. Sistema de tração adotado no Troller.
 

Patesca: É uma roldana ou polia que, usada em conjunto com o guincho ou mesmo entre dois veículos, permite que a força empregada no resgate seja duplicada. Também é muito útil para redirecionar o cabo de aço em resgates.


Peito de Aço: acessório que proteje, em trilhas radicais, as partes dianteiras como barramento de direção e diferencial. 

Peso em Ordem de Marcha: É o peso do veículo com tanque de combustível cheio e todos os líquidos como óleos lubrificantes, óleo da direção hidráulica, fluído de freio, fluído de embreagem, água do radiador, água do limpador dos pára-brisas e, ainda, 1 motorista com peso entre 70 a 80kg.


Peso Bruto: É a soma do Peso em Ordem de Marcha mais a carga máxima permitida pelo fabricante.

 

Pneus All Terrain ou AT: Projetados para enfrentar terrenos diversos como asfalto, terra, areia, neve e lama, com razoável desempenho em cada um deles. Normalmente os utilitários e SUVs saem de fábrica com pneus AT.
 

Pneus Mud Terrain ou MT: Projetados para terrenos lamacentos, possuem grande distância entre os gomos de
borracha. Não são os mais adequados para trânsito em rodovias e altas velocidades, já que a área de contato com o pavimento é menor.


Pneus Mud Terrain + Snow ou MS: Projetados para uso rodoviário com aptidão para terrenos lamacentos de média dificuldade e trechos com neve. 
 

Potência (P) - Unidade Watt (W): É a Força dividida por tempo. Do trabalho dividido pelo tempo temos a Potência. Potência mede a velocidade de realizar trabalho. Assim a potência vai definir a rapidez que se vence um obstáculo ou se atinge uma determinada velocidade.
 

Prancha de Desatolagem: Acessório útil para montagem de pontes e criação de terreno firme para passagem dos pneus em atoleiros e areiões. Normalmente feito de aço ou alumínio. Profundidade Máxima de Travessia: É a aptidão do veículo em atravessar um trecho alagado, sem que suas partes vitais sofram qualquer infiltração de água ou lama.
 

Rampa Máxima: É a rampa mais inclinada que um 4x4 pode subir sem que o motor engasgue ou sem que tombe de volta para trás. A inclinação varia entre os modelos podendo ir de 30 a 45 graus.
 

Roda Livre: É o componente que libera as rodas dianteiras do contato com a transmissão. Existem modelos manuais e
automáticos. 

 

Shimmy: Trepidação nas rodas dianteiras, que pode ser provocado por inúmeros fatores como chassi trincado ou entortado, amortecedores gastos ou com defeitos, molas desajustadas ou “cansadas”, rodas desbalanceadas, pressão diferente nos pneus dianteiros, câmber ou cáster desajustados, caixa de direção com folga.
 

Snorkel: Ou tomada de ar elevada, consiste de um tubo que estende a tomada de ar do filtro do motor para a posição mais elevada possível, protegendo-a da entrada de água em travessias mais radicais de rios e áreas alagadas.
Suspensão Independente: Sistema que possibilita que cada roda tenha seu curso de suspensão independente da outra roda. É a configuração para trânsito em estradas e rodovias em altas velocidades, mas nem sempre é a ideal para o off-road puro, já que a altura máxima do solo não é constante.

 

Trabalho (W) - Unidade Joule (J): É a Força multiplicada por distância. Do torque na roda dividido pelo raio do pneu temos a Força no pneu. Esta força multiplicada pela distância percorrida resulta o trabalho.
 

Torque (T) - Unidade Newton X metro (N.m): É a Força multiplicada pelo raio de giro. É similar a Força, só que a Força é linear e o Torque é circular (rotação). No motor a Força do pistão é transformada em torque pelo conjunto Biela e Virabrequim (ou eixo de manivela). Assim do Virabrequim até a Roda temos Torque.
Então, é o torque que vai definir a capacidade de vencer um obstáculo ou atingir uma determinada velocidade.

 

Trac-Lok: Diferencial que distribui automaticamente o torque entre as rodas traseiras de modo a garantir a melhor condição de aderência em superfícies de baixo atrito como lama, areia, etc. Sistema utilizado no Troller.
 

Transposição Central: É a aptidão do veículo de transpor um obstáculo como uma lombada, sem que as partes inferiores se choquem com ele. Um veículo com distância entre-eixos pequena, como o Troller T4, tem mais facilidade para enfrentar esse tipo de obstáculo.

Contato

Sobre

O site partiu de uma iniciativa particular de Fabio Roberto, Trollerio e fã da marca, nosso site tem objetivo de facilitar a manutenção do seu Troller, reunindo em um só lugar tudo sobre o Troller e seus componentes além de matérias com  dicas de manutenção.  

Algumas marcas que aparecem em nosso site são amigos que apoiaram a iniciativa e contribuem com conteúdo ou respondendo questionamentos e dúvidas diariamente.

Ajude a divulgar

Cole um adesivo, conte para um amigo, apoie essa iniciativa.

logo T4 CLUBE BRASIL.png