Contato

Sobre

O site partiu de uma iniciativa particular de Fabio Roberto, Trollerio e fã da marca, nosso site tem objetivo de facilitar a manutenção do seu Troller, reunindo em um só lugar tudo sobre o Troller e seus componentes além de matérias com  dicas de manutenção.  

Algumas marcas que aparecem em nosso site são amigos que apoiaram a iniciativa e contribuem com conteúdo ou respondendo questionamentos e dúvidas diariamente.

Ajude a divulgar

Cole um adesivo, conte para um amigo, apoie essa iniciativa.

 

HISTÓRIA TROLLER

HISTÓRIA E EVOLUÇÃO DO TROLLER NOS ULTIMOS ANOS.

O Troller é um jipe que apesar de visualmente não se perceber muitas mudanças (exceto modelo 2015), em sua mecânica existiram muitas alterações no início de seu desenvolvimento, principalmente nos primeiros anos de uso comercial, 1997 até 2001, no início o Troler (com uma letra L) possuía chassis tubular, muitas peças do jeep Cherokee inclusive os eixos, mas devido a falta de registros concretos sobre essa fase, iniciaremos nossa lista em 2002.

Principais alterações do Troller 2002, painel alterado, roda livre de série ( existem kits prontos para instalação da roda livre em versões anteriores a 2002), a tampa do porta mala traseiro também foi uma novidade esse ano, bloqueio traseiro tipo Track-Loc de série, freio a disco traseiro, console superior no santo antônio para caixa de som, sistema de freios nacionalizados, limpadores de para-brisas com maior área de atuação, limitadores de portas com estágios, forração interna das portas e console entre bancos passa a ser "emborrachado", ( com o passar dos anos já sabemos que não foi uma boa ideia, principalmente a tinta branca que usaram de base), puxador da porta mais bem posicionado.

Em 2003 a engenharia de desenvolvimento da Troller dedicou-se a mudanças que visam aprimorar o conforto (ergonomia), acabamento e dirigibilidade, aumentando assim a versatilidade do veículo para o uso urbano. As principais mudanças do Troller T4 2003 foram nova caixa de direção, melhor dimensionada, permanece a mesma até 2014, nova pedaleira mais ergonômica e funcional, para-brisa degrade, bancos mais macios/confortáveis e com novo figurino, fixação da capota rígida com menos parafusos e novos guias que facilitando sua retirada e recolocação da capota (mas continua muito pesada, esse problema foi amenizado somente a partir de 2009), cintos de segurança fixados pelo lado de dentro da carroceria, parece óbvio mas não era assim.

Em 2004 o Troller já estava bem consolidado, mas ainda precisava de algumas modificações, a palheta do limpador do para-brisas aumentou, farol ficou mais potente e redondo dificultando sua quebra por torção da fibra, alavanca do câmbio recebeu um reforço, o comando do vidro elétrico mudou, dois porta-objetos, um embaixo do banco onde foi colocado o macaco e outro na porta traseira onde fica o triângulo, a buzina foi reposicionada (mais alta), novo sistema de vedação e fechaduras das portas, freio de estacionamento redimensionado (mas continua sendo ruim, esse é um problema crônico do Troller até o modelo 2014), melhor equalização de frenagem entre as rodas traseiras, caixa de transmissão com eixo primário alongado e reforçado, acoplamentos da árvore de transmissão traseira modificados e reforçados, alteração do curso da suspensão traseira.

Em 2005 a grande inovação fica por conta do câmbio, o jipe Troller 2005 recebeu o câmbio mais moderno modelo Eaton FSO-2405B no lugar do anterior Eaton FSO-2305B. O câmbio modelo FSO-2405B é utilizado até o ano de 2014, alterando apenas algumas relações de marchas. Esse foi o último ano fabricado com o lendário motor MWM Sprint 2.8 com bomba injetora, ou seja, o modelo Troller 2005 reúne todas as inovações e melhorias sem abandonar a simplicidade e confiança do motor com bomba injetora, sem sensores e outras eletrônicas embarcadas, esse é um dos motivos que faz o Troller 2005 ser cobiçado por quem quer um veículo simples, robusto e confiável.

Já em  2006 ou o ano em que o Troller entrou de vez na era dos motores com sistema common rail, continua sendo diesel mas agora com 163 cv originais, motor International NGD 3.0 eletrônico que foi utilizado até 2012. Um excelente motor que com o passar dos anos ganhou chips de potência em oficinas especializadas, hoje é fácil encontrar programações que alteram a potência para 220 cv, 240 cv e até 270 cv.


O painel de instrumentos passou a ter fundo negro com algumas alterações estéticas devido a eletrônica além alguns sensores. O cofre do motor também foi redesenhado, uma vez que o motor internacional tem dutos de escape a admissão invertidos em relação ao antigo MWM, mangueiras de arrefecimento, filtros de ar e tubulação do escapamento também foram redimensionados.

O Troller 2007 vieram algumas correções no posicionamento das mangueiras do moto além do aumento na relação da 1ª e 2ª marchas (mais curtas), disponibilizando 10% e 7%, respectivamente, mais força nas rodas nestas 2 marchas.

Em 2008  a Troller já era propriedade da Ford Motor Company que deu uma pequena aperfeiçoada nesse modelo, alteradas as mangueiras da direção hidráulica ao reservatório, mangueira do retorno de água do radiador foram reposicionadas para evitar desgaste por atrito liberar espaço, maior disco de freio traseiro, cofre do motor muito mais bem arrumado e com mais espaço para manutenção, essas já eram algumas alterações preliminares para uma grande mudança que ocorreu em 2009 com mais de 500 itens.

O ano de 2009 foi o ano que a Ford colocou a "mão na massa" e resolveu fazer um retro-fit no modelo, o painel mais bem arrumado e moderno, muitas peças foram compartilhadas dos veículos Ford, principalmente da linha Fiesta /  Ecosport, o Troller ficou com a parte superior mais estreita eliminando os reflexos que atrapalhavam o motorista ao dirigir, painel frontal removível para facilitar a manutenção, além de outras alterações.

 

Depois dessa grande mudança o jipe permanece praticamente o mesmo até 2012, nesse período foram ainda duas edições limitadas o Troller Expedition e o Troller Desert Storm, que foram sucesso de vendas.

Os anos de 2013 e 2014 foram marcados por um período difícil devido aos inúmeros problemas relacionados ao novo motor 3.2 TGV, inclusive com um Recall de turbina, reprogramação do módulo e bicos. O motor TGV 4 cilindros foi abandonado na alteração do modelo em 2015 que passou a compartilhar o motor da Ford Ranger.

Em 2016 a Troller lança no salão do automóvel uma nova série especial limitada, o Troller Bold.

Abaixo um pouco da história da montadora ao longo dos anos.

Origem do Nome "TROLLER" 

Ao criar o jipe brasileiro feito em Horizonte, no Ceará, seu inventor, o engenheiro Rogério Farias, deu-lhe o nome de Troler, com um L só. Em 1997, ao associar-se ao engenheiro Mário Araripe, presidente da Troller Veículos Especiais S/A, acrescentou outro L e criou-se o nome Troller, uma espécie de derivação aportuguesada da palavra inglesa troll.

Entre outros significados, troll designa um personagem das lendas escandinavas, um gnomo que habita florestas e cavernas da Noruega, ser da noite que sob o sol transforma-se em pedra. Protege os visitantes das florestas e das montanhas, é leal, traz sorte e fica muito irado se desrespeitado.

A alusão evoca a similaridade entre o gnomo e o jipe Troller T4, dada a alta e reconhecida confiabilidade do veículo em terrenos difíceis. E não deixa de remeter a um certo encanto que costuma contagiar amantes dos veículos off-road ao conhecer o Troller, um companheiro forte para enfrentar qualquer desafio.

O Surgimento da "TROLLER

O projeto Troller começou a ser desenvolvido em 1995, com a fabricação do primeiro protótipo em Abril de 1996. Entre Abril de 1996 e Dezembro de 1997 dos protótipos construídos, 44 foram entregues à pilotos para testes. O carro rapidamente se tornou conhecido devido ao sucesso nas competições off-road em que participou. Em meados de 1997, foi feita uma extensa pesquisa de satisfação entre todos os que testaram os protótipos, com aprovação unânime.

Pontos fortes e fracos do carro foram estudados para melhorias, e em setembro de 98 foi organizada a linha de montagem do Troller o produto foi mais uma vez foi inteiramente reformulado, e o processo de fabricação em série foi implantado, passando a produzir 1 unidade por dia. Em 1999, foram produzidos e comercializados 250 veículos. No ano 2000, foram 500 veículos, mesma quantidade já produzida e comercializada só no período de janeiro a julho de 2001.

 

Linha do Tempo 

1999 

Segunda colocada na categoria Production do Rally dos Sertões com Beto Macedo e Galdino Gabriel.

 

2000 

Campeã do Rally dos Sertões com Reinaldo Varela e Alberto Fadigatti.

Campeã Brasileira de Rally Cross Country, na Geral, com Reinaldo Varela e Alberto Fadigatti.

Campeã da Copa Dunas, na Geral, com Reinaldo Varela e Alberto Fadigatti.

Campeã da Copa Baja Brasil, na Geral, com Reinaldo Varela e Alberto Fadigatti.

Quarta colocada do Paris-Dakar, na categoria dos novatos, com Arnoldo Jr. e Galdino Gabriel.

VEJA AQUI O LEMA DA TROLLER E O DICIONÁRIO OFF ROAD DA ÉPOCA EM NOSSO BLOG.

2001

Campeã Mundial de Rally na categoria T3.2 Diesel, com Reinaldo Varela e Alberto Fadigatti, por antecipação, após a oitava de nove etapas, com vitórias nos Rally da Tunísia, Rally do Marrocos, Rally Máster (França/Itália/Grécia/Turquia/Síria/Jordânia, antigo Paris-Moscou-Pequim), e Rally da Argentina, quarto lugar na Itália, quinto na Espanha e segundo no Paris-Dakar.

Vice-Campeã do Paris-Dakar na categoria T3.2 Diesel com Reinaldo Varela e Alberto Fadigatti. 

 

2002

Campeã Brasileira de Rally Cross Country na Geral, com Reinaldo Varela e Edgar Fabre, e na Production Diesel, com Renê Melo e Marcus Melo.

Campeã da Copa Dunas na Geral, com Reinaldo Varela e Edgar Fabre, e na Production Diesel, com Renê Melo e Marcus Melo.

Campeã do Rally dos Sertões na Production Diesel, com René Melo e Marcus Melo. 

Após este laboratório o Troller recebeu ainda ainda mais melhorias, como porta traseira, novos eixos, freio a disco nas 4 rodas e roda livre. Com espaço consolidado no mercado e nome forte no esporte, a Troller criou em 2003 a sua própria competição, a Copa Troller, considerada um dos rallies mais importantes do país, sendo dividido em cinco categorias: Passeio, Expedition, Turismo, Graduados e Master.

 

2005 A 2006

A MAIOR EQUIPE DA HISTÓRIA

Para o Rally dos Sertões de 2005, a Troller fez um T4, versão especial de competição, para 21 clientes. Foi a maior equipe da história do Rally dos Sertões. O ano de 2006 foi de mudanças para o T4. As mais importantes foram o novo motor NGD 3.0 eletrônico de 163 cv, o novo sistema de embreagem, amortecedores e rodas.

2007 A 2008

O ANO DE UMA GRANDE PARCERIA

No ano de 2007, a Troller foi adquirida pela Ford Motor Company Brasil Ltda., que desde então oferece toda a tecnologia e recursos para os processos de produção e desenvolvimento de produtos. Em 2008 a fábrica foi remodelada com novos recursos de manufatura para a produção do Troller T4, que contribuíram para aprimorar a qualidade do produto, ampliação do mercado e a satisfação dos clientes, além de aumentar a produtividade.

 

2009

ANO RECORDE

O novo Troller T4 é apresentado com mais de 500 novas peças e alterações, tanto no design quanto em um novo padrão de acabamento com seu interior totalmente novo, uniformização das peças com itens próprios e da cadeia produtiva da Ford, entre outros. Tudo para aprimorar a qualidade do produto com harmonia e estilo, sem comprometer a robustez e o incrível desempenho. Esse também foi o ano recorde de vendas da Troller,

 

2010

VÁ ALÉM

Com o lançamento da série exclusiva e limitada Expedition, a Troller criou um utilitário preparado para viagens de longa duração com itens de estilo e equipamentos que realçavam o visual aventureiro. Além de oferecer garantia de dois anos, a Expedition contava ainda com combinação única de cores (amarelo Expedition e cinza fosco London Gray), além de itens de série como um grande bagageiro, snorkel, capa de estepe personalizada, entre outros.

Foram produzidas somente 100 unidades desta edição limitada. Na compra de uma Expedition, o consumidor ainda ganhava uma jaqueta personalizada com as cores da versão Expedition, bordada com seu nome e tipo sanguíneo.

 

2011

DA COR DO DESERTO

Em 2011, a Troller lança o T4 Desert Storm, uma série especial, limitada e superequipada. A Desert Storm oferecia pintura especial na cor Bege Atacama fosco, como os carros usados em operações especiais no deserto, e capota rígida removível da mesma cor. Itens de série como snorkel, guincho com capacidade de 9.500 libras, para-choques especiais e muito mais. O utilitário contava ainda com outros equipamentos para uso tanto em trilhas como na cidade: ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, entre outros.

Além da exclusividade, o veículo oferecia um excelente custo-benefício, com uma vantagem competitiva quando comparado com o custo de todos os seus equipamentos adicionais instalados separadamente.

2012

LANÇAMENTO DO MODELO 2012

Para o lançamento do modelo 2012, o Troller T4 2012 passa a oferecer ao cliente cobertura total de dois anos, sem limite de quilometragem.

O Troller T4 recebeu outras melhorias na linha 2012. O interior da carroceria passou a vir pintado na cor do veículo e disponibilidade de nove cores no catálogo, mas o cliente também podia personalizar a pintura do Troller T4 na cor desejada.

 

2013

MODIFICAR É CRIAR

Em 2012 a Troller apresenta o Novo T4 2013, com MWM International MaxxForce 3.2 TGV com emissão reduzida de poluentes, dentro do padrão Proconve L6. O veículo também ganhou peito de aço, snorkel de série, além de novas combinações de cores. Atualmente, a Troller conta com uma Rede de Distribuidores e Postos de Assistência Técnica credenciados por todo o Brasil.

 

2015

SAGA CONTNUA...

A Troller inova totalmente o modelo, utilizando novas tecnologias para carroceria de fibra injetada, compartilha muitas peças da nova Ranger, inclusive o motor de 200 CV, mas não perde o DNA off road, Já provou que o novo Troller continua merecendo receber esse nome e continua sendo um grande jipe.

2017

TROLLER BOLD

Nova Edição Limitada, Troller Bold, fabricação de apenas 180 jipes Troller modelo Bold, tecnicamente é o mesmo modelo da versão T4 XLT, ou seja, motor, transmissão, suspensão, tudo igual, a versão Bold conta como adicional apelos visuais em tons escuros na pintura e acabamentos internos, além de snorkel e kit multimídia.

logo T4 CLUBE BRASIL.png